Se você tem uma empresa e ela não possui um aplicativo, é hora de começar a considerar a possibilidade de investir em um. Ter uma presença online tão somente já não é mais o bastante para atingir seus clientes em cheio. Os aplicativos para smartphones vêm se tornando muito importantes para pequenas e médias empresas, tanto como ferramenta de gestão quanto de atendimento.

Não é muito difícil entender por quê. O uso de smartphones só vem aumentando nos últimos anos, e a maioria de nós pega em um telefone pelo menos uma vez a cada hora. Quase todos gastamos esse tempo interagindo com nossos aparelhos pelo uso de aplicativos, o que significa que eles se tornaram uma ferramenta essencial para indústrias de todos os nichos.

Apps móveis são capazes de aumentar o engajamento com clientes, alavancar suas vendas e ainda permitem uma grande variedade de transações online. Eles também aceleram o contato entre empresa e cliente e facilitam o trabalho em campo de seus vendedores, promovendo a mobilidade corporativa. Não bastasse tudo isso, a mera presença de um ícone com a sua marca pode influenciar positivamente o seu cliente e aumentar a consciência de marca.

Esse amontoado de benefícios apenas deixa claro que você precisa investir em aplicativos, mas não é o suficiente para responder a pergunta que dá título a esse post. Afinal, o que os aplicativos precisam ter para um negócio?

Ao longo deste artigo você verá por que investir em um, como decidir que tipo de aplicativo fazer, que recursos incluir nele e como funciona o seu processo de criação. Além disso, mataremos a sua curiosidade e responderemos de uma vez por todas quanto custa fazer um aplicativo para a sua empresa.

Pronto para descobrir todas essas respostas? Então continue a leitura.

1. Por que ter um aplicativo em seu negócio?

Nos últimos anos, aplicativos se tornaram uma parte integral da maneira como empresas fazem negócios e mesmo aquelas companhias cujo foco costumava ser o mercado offline têm visto grande benefício em investir nesse mercado. Apps são muito úteis para coletar informações sobre usuários, oferecer um bom serviço de atendimento ao consumidor e implementar iniciativas de marketing de baixo custo e alto desempenho.

O número crescente de usuários com smartphones só significa que mais negócios vão considerar a possibilidade de investir nesse mercado e, como empresário, você não pode deixar de lado essa oportunidade. Por isso, aqui estão 5 motivos pelos quais ter um aplicativo mobile é uma boa ideia.

1.1. Fortaleça a imagem da sua marca

A imagem da sua marca é um fator crítico para o sucesso. E, sem um aplicativo, ela pode parecer datada e distante das tendências modernas. Isso tende a causar um impacto direto na performance atual e nos futuros prospects de negócios para a sua empresa.

Investir em um aplicativo é, antes de tudo, investir na forma como a sua companhia é vista pelas pessoas ao seu redor. Inspire seus clientes, colaboradores, parceiros de negócios e investidores dedicando-se à construção de um aplicativo de negócios para o público interno ou externo.

1.2. Abrace a era mobile

A era mobile não vai a lugar algum e o seu negócio deve ingressar nela se quiser obter sucesso. Não há uma melhor maneira de fazer isso do que criando seu próprio aplicativo. A maioria dos seus competidores já percebeu essa necessidade, portanto, é hora de você fazer o mesmo.

Se você já vai ao banco sem sair de casa, com o auxílio de seu telefone, e marca corridas de táxi sem precisar ligar para uma central de atendimento, por que não se beneficiar desse tipo de comodidade em seus próprios processos de negócio? Pense o que um aplicativo poderia fazer pela sua empresa e perceba que abraçar a era mobile é algo que só oferece vantagens.

1.3. Obtenha insights sobre consumidores

Um dos maiores benefícios dos aplicativos é o volume de dados consolidados sobre os seus consumidores que você pode adquirir por meio deles. É possível identificar as regiões mais promissoras e lucrativas para se fazer negócios, segmentar demograficamente seu público, identificar as demandas dos clientes e usar todo esse conhecimento para fazer produtos e serviços melhores.

Quando você faz um aplicativo para o público externo, você cria uma mina preciosa de dados em que poderá se basear para tomar todas as suas decisões empresariais futuras. A tomada de decisões orientada é outra tendência que se consolidou nos últimos anos e, com um aplicativo, sua empresa pode começar a participar dela pra valer.

1.4. Ofereça uma experiência de consumo melhor

Aplicativos são muito mais velozes do que websites, por mais mobile-friendly que sejam. Afinal, tanto a Apple quanto o Google tem requerimentos de velocidade para os apps que publicam. Isso garante que os seus usuários tenham uma experiência muito mais ágil e eficaz, que resulta, naturalmente, em níveis mais altos de engajamento.

Além disso, quando um usuário faz download do seu app e login na sua plataforma, ele não precisa continuar confirmando essas informações toda vez que executar uma compra ou fizer um pedido. Esse tipo de comodidade não é viável em websites, mas com apps é algo extremamente simples de se implementar.

Todos esses aspectos, somados, resultam em experiências de uso melhoradas e, consequentemente, um aumento nos níveis de satisfação do seu consumidor. Aplicativos são uma ótima maneira de agradar seus clientes.

1.5. Fidelize clientes com aplicativos

O motivo mais importante, porém, para se considerar o investimento em aplicativos é a fidelização do cliente. Pense que, com todo o barulho aí fora (banners, outdoors, anúncios em jornais, websites e revistas, flyers, cupons e e-mail marketing, para citar apenas alguns deles), as marcas lentamente perdem o seu impacto sobre os consumidores.

É hora de voltar a fazer conexões significativas com o seu cliente e um app é a oportunidade perfeita para isso. Seu negócio estará sempre a alguns cliques de distância, pronto para responder dúvidas, tomar ordens de serviço e ajudá-lo em suas necessidades mais importantes.

2. Escolhendo o tipo do seu aplicativo

Existem dois tipos principais de aplicativos corporativos: aqueles construídos para ajudar internamente na gestão da empresa, transformando processos e simplificando fluxos de trabalho, e aqueles feitos para tornar mais dinâmico o relacionamento com o cliente, colocando em suas mãos opções e funcionalidades às quais ele antes não tinha acesso.

Agora, você conhecerá melhor os benefícios de cada um deles e poderá, enfim, escolher o que melhor se adequa a sua proposta de negócios.

2.1. Para gestão da empresa

Aplicativos para a gestão da empresa vêm em vários formatos e tamanhos, sendo especialmente desenhados para simplificar fluxos de trabalho que hoje levam muito tempo ou precisam envolver muitos funcionários. Pense, por exemplo, na criação de uma ordem de serviço e no que acontece desde que ela é feita pelo seu cliente até o momento em que é entregue pelo seu time de logística.

Todas as etapas no meio do caminho precisam ser acompanhadas para que o sucesso seja garantido, e um app pode ajudar nisso. Ele traz mobilidade para sistemas que, hoje, não são móveis e garante que a informação esteja sempre atualizada a cada etapa.

Aplicativos de gestão podem ajudá-lo na contabilidade, simplificando o esforço do seu pessoal de vendas ou até mesmo automatizando processos complexos. Eles são ferramentas de auxílio à produtividade que entregam resultados e, simultaneamente, informação.

Com os dados do seu aplicativo de gestão é possível melhorar processos internos e apontar gargalos de produção que poderiam passar despercebidos naturalmente. Coibir erros também se torna mais fácil, graças à natureza automatizada dessas aplicações.

2.2. Para o contato com o cliente

Aplicativos para o contato com o cliente, por sua vez, são feitos para tornar a sua empresa mais acessível. Eles colocam sua marca mais próxima do consumidor e dão a ele maneiras de entrar em contato, resolver pendências, fazer pedidos, executar compras, receber novidades e acompanhar reclamações 24 horas por dia. São esses apps que promovem a fidelização, consciência de marca e ajudam o seu negócio a obter insights significativos sobre os seus consumidores, ao mesmo tempo em que ressignificam o seu serviço de atendimento ao cliente.

Um bom aplicativo para o contato com o público externo é capaz de aumentar suas vendas, criar novas oportunidades de lucro, acelerar campanhas de marketing e muito mais. E, com os dados obtidos nele, é possível conhecer muito melhor seu público-alvo e criar produtos e serviços cada vez mais antenados às suas preferências.

3. O que todo aplicativo corporativo deve ter

Quando falamos de aplicativos para o contato com o cliente, há algumas coisas que todos os usuários querem que eles sejam capazes de fazer — a essas coisas chamamos de expectativas do consumidor. Ir de encontro a elas é o que faz o seu aplicativo ser bem aceito pela comunidade e amplamente utilizado.

Conheça agora algumas dessas funcionalidades e veja por que incorporá-las ao seu app!

3.1. Meios de contato

Pelo menos 75% dos clientes consideram que uma ligação é o meio de contato mais ágil para conseguir uma resposta, sendo que conversas por telefone têm taxas de conversão até 50% maiores do que outros meios. Por isso, é imprescindível incluir esse tipo de contato em seu app.

Um bom aplicativo corporativo precisa ter todas as formas de entrar em contato com a sua empresa condensadas em um só lugar. Um botão do tipo “clique para ligar”, um formulário de contato em texto e um e-mail devem ser o suficiente, mas incluir o endereço do seu website e a localização física de suas lojas pode ajudar seus clientes a se sentirem mais seguros.

3.2. Atendimento ao cliente

Um aplicativo, para ser completo de verdade, deve oferecer também um serviço de atendimento ao cliente ao vivo. Até 78% dos consumidores usam seus dispositivos móveis para obter atendimentos dessa natureza e são muito exigentes com o serviço recebido: 55% deles, quando não são bem atendidos por um app, procuram os serviços da concorrência.

3.3. Programas de fidelidade

Pelo menos 70% dos usuários de smartphones esperam que um aplicativo inclua um programa de fidelidade. A ideia de usar seu telefone para acumular pontos e receber descontos, ofertas especiais ou presentes é algo que atinge em cheio o consumidor e torna atraente o download de mais um aplicativo em seu telefone.

Se você considerar que pelo menos 39% dos consumidores gastam mais quando têm acesso a um programa de fidelidade, incluir cupons móveis, cartões de pontos e vale-presentes em seu aplicativo torna-se uma ideia ainda mais tentadora.

3.4. Alertas personalizados

Boa parte dos consumidores faz download de aplicativos corporativos porque adora receber mensagens personalizadas de acordo com as suas necessidades. De fato, 46% deles acreditam que notificações push são um benefício dos apps de marcas.

Conteúdo exclusivo, mensagens de aniversário e ofertas especiais são o que chama a atenção de outros 77% dos consumidores mobile, que dizem ser impactados positivamente toda vez que recebem uma mensagem dessa natureza.

4. Como funciona o processo de criação

O processo de criação de um aplicativo não é o mesmo em todos os casos. Afinal, criar um aplicativo para o uso interno e para o uso externo são coisas bastante diferentes. Entretanto, há coisas em comum no planejamento e na execução de todos os apps que você vê por aí.

Essas coisas em comum são a criação de metas claras, o rascunho de ideias, a pesquisa e o wireframing. No passo a passo que preparamos, você acompanha em detalhes como cada uma dessas etapas funciona.

4.1. Estabelecendo metas

O primeiro passo para a criação de aplicativos bem-sucedidos é o estabelecimento de metas claras. Seja um aplicativo para uso interno ou externo, o ideal é que você tenha em mente todos os detalhes de seu funcionamento antes de começar a conversar com um fornecedor. Talvez você não saiba dizer exatamente como a tecnologia será capaz de fazer um determinado recurso funcionar, mas você precisa conseguir explicar esse recurso que imaginou.

A isso, chamamos definir metas. Pegue uma caneta e papel e comece a escrever todas as suas ideias para o aplicativo em questão. Como ele vai se chamar e o que o usuário vê ao fazer login? Para orientá-lo, procure responder todas as questões a seguir.

  • O que o seu aplicativo faz?
  • Qual é seu público-alvo?
  • Por que o seu aplicativo atrairá usuários?
  • Quais problemas seu aplicativo resolve?
  • O que diferencia seu aplicativo?
  • Há concorrentes? Quais?
  • Como o seu aplicativo pretende simplificar a vida do usuário?
  • Quais funcionalidades o seu aplicativo terá?
  • Por que essas funcionalidades são relevantes para o seu público-alvo?

Responder todas essas perguntas vai ajudá-lo na criação dos objetivos que o aplicativo deve cumprir. Se você respondeu, por exemplo, que o seu aplicativo faz reservas em hotéis, então a sua meta principal pode ser “simplificar o jeito de fazer reservas em hotéis”.

Transforme cada uma de suas respostas em uma, duas ou tantas metas quanto achar necessário. O importante é que elas sejam um resumo do que o seu aplicativo pretende fazer.

4.2 Faça um rascunho das suas ideias

Agora que você já tem metas em mente, é hora de começar a fazer um rascunho de como elas funcionarão na prática. Afinal, não adianta querer “simplificar o jeito de fazer reservas em hotéis” sem ter um plano para isso. Ainda usando esse exemplo, você pode começar a investigar como funcionam os demais aplicativos de reservas do mercado e analisar o que o incomoda neles.

Se o seu negócio tem concorrentes, isso não deve ser difícil. Agora, se ele não tem nenhuma competição, ou se a sua competição ainda não tem um aplicativo móvel, será preciso inventar a roda. Existe algum aplicativo com funções análogas — como, por exemplo, um aplicativo de reserva de carros — que poderia oferecer inspiração para o seu app de reserva de hotéis?

Caso a resposta seja positiva, faça download dele e verifique o que há de certo e errado em seu layout. O que você repetiria e quais funcionalidades existem ali que você não pensou na hora de traçar as metas do seu aplicativo, mas que funcionariam bem com a sua ideia? Pegue novamente sua folha de papel e comece a fazer um rascunho das telas do seu aplicativo e de como elas apareceriam, em ordem lógica.

Criar aplicativos bem-sucedidos é questão de tentativa e erro, muitas vezes. Por isso, comece a tentar.

4.3 Pesquise a concorrência

Você já fez um pouco de pesquisa na etapa de rascunho, mas agora é hora de levar a sério o seu benchmarking da concorrência, porque o seu foco mudou de design para vendas. Volte nos seus rascunhos e comece a pensar em como o seu aplicativo vai fazer dinheiro.

Se você vende alguma coisa com ele, como no nosso exemplo de reservas de hotéis, é simples criar uma receita para arrecadação. Mas talvez não seja tão fácil desenvolver um plano de divulgação.

Você deve então começar a pensar em que nicho seu aplicativo se encaixa, que tipo de cliente faria download dele e qual o tamanho do público existente para um app como esse.

Quem já tem clientes pode divulgar seu app por meios tradicionais, como a sua lista de e-mail marketing. E quem está criando uma ferramenta para uso interno sabe que não terá concorrência. Mas não deve, necessariamente, pular essa etapa.

Outras empresas também têm aplicativos para o público interno, e é possível encontrar cases de sucesso a respeito deles na internet, com os quais você pode aprender. Tome o tempo da pesquisa para aprimorar sua solução.

4.4 Faça wireframes

Com todas essas informações em mãos, é hora de fazer os wireframes do seu aplicativo. Wireframes são rascunhos elaborados com as funcionalidades e os fluxos de trabalho já bem definidos.

Agora que você sabe o que seu aplicativo faz, para quem faz e como faz, é chegada a hora de procurar uma ferramenta como o Wireframe.cc e começar a construir o seu. Com wireframes em mãos, será possível começar a testar seu app com usuários reais e ver o que funciona ou não.

4.5 Busque um fornecedor e monte uma equipe

Depois de trilhar todas as etapas elencadas aqui, é hora de procurar o fornecedor ideal, capaz de transformar a sua ideia em realidade. A empresa desenvolvedora de apps com quem você escolhe trabalhar é a maior responsável pelo sucesso da sua iniciativa, por isso, tome seu tempo e escolha-a com cuidado.

Para colocar um aplicativo no ar você vai precisar de uma equipe multidisciplinar, composta por designers, programadores, profissionais de marketing e de vendas. Todos eles devem trabalhar em conjunto, com foco nos mesmos objetivos, a fim de garantir os melhores resultados.

5. E o preço?

O que define o preço de aplicativos é sua complexidade, portanto, há uma variação muito grande nos orçamentos que você pode encontrar. A principal ideia a se apegar, nesse momento, é que nem sempre o orçamento mais barato que você vai receber é o melhor negócio que a sua empresa poderia fazer.

Considere as variáveis abaixo antes de bater o martelo com uma empresa de desenvolvimento de aplicativos.

5.1. A complexidade do app dita seu preço

Quanto mais complexo um aplicativo é, em termos de back-end, mais cara é sua programação. Você deve ter em mente que integrações, múltiplas APIs e painéis administrativos customizados encarecem um projeto e podem fazê-lo superar a típica marca de 300 horas de programação, base para a construção de um aplicativo comum.

Isso significa que aqueles valores que você encontra no post linkado aqui, que indicam um preço médio de R$20.000,00, podem ficar muito abaixo da estimativa real que o mercado lhe dará para construir seu app. Um número maior de dispositivos e sistemas operacionais também é considerado como um aumento da complexidade e um fator que pode ocasionar a subida dos preços.

5.2. Cada categoria de app tem um custo diferente

Aplicativos baseados em tabelas são os mais simples, enquanto jogos podem ser considerados as aplicações mais complexas. Dependendo do tipo de app que você escolheu fazer, o seu preço também varia. Designs customizados são outro tipo de elemento que agrega valor a um projeto e, consequentemente, encarecem seu orçamento.

5.3. Aplicativos Android são mais caros do que aplicativos para iOS

Por incrível que pareça, aplicativos Android custam mais caro para desenvolver do que aplicativos para iOS. Isso acontece porque eles levam muito mais tempo para ficar prontos e precisam ser compatíveis com muito mais dispositivos.

Tenha isso em mente quando for solicitar o orçamento do seu futuro aplicativo. Sua ideia tem tudo para ser um sucesso se você seguir as dicas contidas aqui.

E aí, conseguiu entender por que aplicativos são importantes para as empresas e o que eles precisam ter para otimizar processos e trazer lucros? Esperamos que sim. Se você gostou deste conteúdo, não se esqueça de compartilhá-lo em suas redes sociais!

Avaliações
  • Artigo
5
Resumo do Artigo
Aplicativos: o que eles precisam ter para um negócio!!!
Título do Artigo
Aplicativos: o que eles precisam ter para um negócio!!!
Descrição
Os aplicativos para smartphones vêm se tornando muito importantes para empresas, tanto como ferramenta de gestão quanto de atendimento. Saiba tudo!!!
Autor
Empresa
FIT Mobile
Logo Empresa