Os aplicativos ultimamente têm facilitado a vida de muitas pessoas, não somente os usuários comuns, mas também profissionais que trabalham em variadas organizações. Afinal, quando utilizados nos dispositivos móveis, como smartphones, os aplicativos podem ser acessados de qualquer local e em qualquer horário. Porém, o desenvolvimento de aplicativos para smartphone não depende somente de uma boa ideia — vai além disso, exigindo planejamento e conhecimentos específicos.

Leia o post e veja como trabalhar corretamente no desenvolvimento de aplicativos para smartphone!

O pontapé inicial: planejamento

O primeiro para você ter sucesso no desenvolvimento de aplicativos para smartphone é planejar. Depois de ter a ideia, faça uma pesquisa de mercado e de público para ter uma noção de qual será o nível de aceitação dos consumidores ao seu aplicativo. Essa também é uma maneira de ficar sabendo se já existem aplicativos similares no mercado.

Após a pesquisa, elabore uma documentação sobre o aplicativo, contendo todos os detalhes sobre ele: a descrição do produto, a sua finalidade, os requisitos do sistema, os recursos, as plataformas em que ele será disponibilizado.

A criação do protótipo e do design

A prototipagem é uma estratégia eficaz aplicada no desenvolvimento de aplicativos para smartphone, pois evita a necessidade de refazer códigos por causa de alterações no layout. A prototipagem consiste na criação de protótipos das telas e da navegação do sistema a fim de que sejam mostrados aos colaboradores (ou mesmo, investidores) para que eles aprovem ou sugiram alterações no layout.

Esses protótipos podem ser somente desenhos explicativos (wireframes) ou podem ser projetos mais complexos, exibindo toda a identidade visual da marca e até a possibilidade de navegação pelos diferentes recursos do aplicativo.

O design deve ser elaborado baseando-se em critérios como funcionalidade e navegação simples e intuitiva.

O código ideal

No caso de desenvolvimento de aplicativos para smartphone no sistema iOS, é preciso aprender Objective C ou SWIFT e fazer uso do COCOA TOUCH. Já no Android, a linguagem de programação aplicada deve ser Java, ou a nova Kotlin, por meio do Android SDK. No caso de Windows Phone, é preciso usar o Windows Phone SDK e a linguagem de programação C#.

Caso você não tenha conhecimento apropriado dessas linguagens, nem conte com uma equipe especializada para te ajudar, a verdade é que o desenvolvimento do aplicativo talvez nem compense, já que você ainda terá que aprendê-las, o que levará mais tempo e mais custos.

No caso dos aplicativos híbridos, eles usam as linguagens padrão de desenvolvimento web, facilitando seu desenvolvimento. Depois, eles são compilados, em uma determinada ferramenta, para os executáveis das plataformas onde serão usados.

Essa estratégia vem sendo adotada com frequência, pois contribui para a diminuição de gastos e para a economia de tempo.

Para ser publicado em todas as plataformas, o aplicativo híbrido deve ser desenvolvido uma única vez, usando as linguagens de mercado (HTML, Java ou outras).

A plataforma iOS (iPhone/iPad/iPod Touch)

Além da linguagem específica (Objective C ou Swift), é preciso usar a IDE XCode, uma ótima IDE (Ambiente de Desenvolvimento integrado). Ela já vem com simulador de iPhone/iPad, com ferramenta para Debug e com Construtor de Interface, que torna bem mais fácil o desenvolvimento de visualizações para o aplicativo.

No Portal do Desenvolvedor da Apple, existe uma ampla documentação (vídeos, tutoriais, exemplos), falando inclusive sobre os frameworks (união de códigos comuns para promover uma funcionalidade) que estão embutidos no XCode — mas tudo está em inglês.

Para desenvolver seu aplicativo sem a necessidade de aprender Objective C ou Swift, há alguns frameworks e serviços que poderão ajudar a ter seu aplicativo de maneira mais rápida na App Store:

  • AppMakr: permite a publicação do aplicativo direto do site, apresentando funcionalidades como Podcast, RSS e outras (uma boa vantagem é que é grátis);

  • Titanium Mobile: framework completo que possibilita aplicações, não somente para iOS, mas também para Android; ele usa linguagens da internet, como CSS, Javascript, PHP, HTML (mas custa muito caro);

  • NimbleKit: framework que permite aplicações usando CSS, Javascript, jQuery, PHP, tendo funcionalidades como GPS, Radio Online e outras (é mais barato que o Titanium);

  • iWebKit: para fazer com que seu site rode no iPhone.

A plataforma Android

O desenvolvimento de aplicativos para smartphone no sistema Android pode ser mais trabalhoso. A IDE usada é a Eclipse, já familiar a muitos desenvolvedores e usuários ou o Android Studio. Como foi dito, é necessário instalar a SDK e um plugin na própria IDE.

O desenvolvimento pode ser feito utilizando MacOS, Windows ou Linux. A linguagem Java é mais simples que a Objective C, mas o simulador não é tão bom.

A plataforma Android possui mais de 20 tamanhos de telas entre os aparelhos e também apresenta capacidades diferentes de processamento.

Algumas ferramentas que poderão ajudar a desenvolver aplicativos nessa plataforma são:

  • Titanium Mobile;

  • App Inventor: da Google, foi criado para não-programadores, mas ajuda a desenvolver projetos menos complicados, incluindo jogos (também permite acessar o GPS).

A necessidade de uma empresa especializada

Independentemente de usar a linguagem Objective C, a linguagem Java, a linguagem C# ou uma linguagem padrão, você precisa contar com a ajuda de profissionais especializados. Mesmo que utilize ferramentas facilitadoras, o ideal é ter pessoas capacitadas para te orientar e propor soluções realmente viáveis e mais baratas, que economizem tempo e dinheiro.

Por esse motivo, vale a pena contratar os serviços de uma empresa desenvolvedora de aplicativos para dar suporte e orientação durante a execução do projeto e até depois de o produto ser concluído.

Considere que uma empresa especializada vai te ajudar a criar o aplicativo exatamente do jeito que você deseja, contemplando as necessidades de sua e/ou de outras empresas. Isso significa redução de custos com erros de não-programadores, menos retrabalhos, mais agilidade e mais possibilidades de lançar no mercado um produto que será realmente aceito e procurado.

Analisando a relação custo x benefício, você concluirá que os serviços de uma empresa habilitada só serão vantajosos para seu trabalho.

A publicação do aplicativo

Depois de tudo feito, você deverá colocar seu aplicativo para download. Também pode vendê-los em lojas de aplicativos, mas será necessário criar contas nas centrais das plataformas e assumir um taxa, cujo valor varia conforme a plataforma.

Outro ponto a considerar é que o aplicativo precisa estar conforme as regras definidas pelas empresas que gerenciam as plataformas.

Desenvolvimento de aplicativos para smartphone

Para o desenvolvimento de aplicativos para smartphone, talvez seja necessário contar com o patrocínio do projeto (seja integral ou parcial) ou com o financiamento dele, que pode vir de investidores interessados na sua ideia. Ou seja, você precisará convencê-los de que sua ideia é realmente boa.

Considere que aplicativos mais simples têm um custo aproximado de R$ 8 a R$ 10 mil. Outros, muito complexos, podem ter custos de até R$ 100 mil ou mais.

Está pensando em atuar no desenvolvimento de aplicativos para smartphone? Deseja saber sobre outros assuntos relacionados? Então, assine agora nossa newsletter e receba novidades diretamente no seu e-mail.

Avaliações
  • Artigo
5
Resumo do Artigo
Desenvolvimento de aplicativos para smartphone: por onde começar?
Título do Artigo
Desenvolvimento de aplicativos para smartphone: por onde começar?
Descrição
Criar um aplicativo não depende somente de uma boa ideia. Veja como trabalhar corretamente no desenvolvimento de aplicativos para smartphone!
Autor
Empresa
FIT Mobile
Logo Empresa