Design acessibilidade é a prática de fazer aplicativos, sites e outros softwares de maneira que possam ser aproveitados por todas as pessoas. Eles consideram aqueles que têm dificuldades motoras, visuais, de fala e cognitivas e oferecem alternativas para que consigam utilizá-los de maneira eficiente.

Os princípios da acessibilidade no design são mais simples do que imagina. Embora muitos acreditem que tornar uma página acessível é um enorme gasto de tempo e dinheiro, fazê-lo cria um diferencial competitivo para o seu produto, abre a utilização dele a uma enorme parcela do público e é um ótimo investimento.

Hoje, vamos mostrar 7 dicas para tornar um design mais acessível. Confira!

Como trazer design acessibilidade a um aplicativo

1. Atente-se às cores

Não são apenas as pessoas com perdas visuais que podem se beneficiar de um esquema de cores bem elaborado. Daltônicos também enfrentam bastante dificuldade ao utilizar apps cujas paletas são muito similares. Tons como o azul sobre azul ou rosa sobre cinza podem ser difíceis de se diferenciar, não apenas para as pessoas com problemas visuais, mas também para os idosos e aqueles que utilizam o seu aplicativo em condições de iluminação menos que ideais.

Por isso, o primeiro passo para conquistar um app acessível é se preocupar com a maneira como ele aparece na tela dos usuários. Segundo a Organização Mundial da Saúde, pelo menos, 217 milhões de pessoas têm problemas visuais, do moderado ao severo. Considerá-los permitirá que seu app atinja muito mais downloads.

Mas como escolher as cores certas? O aplicativo Contrast, para Mac, verifica a proporção de contraste entre duas cores. Ferramentas como o Illustrator, InDesign, Photoshop e outras da suite Adobe também possuem a função de visualizar a tela como um usuário com problemas visuais.

2. Ofereça diversos tamanhos de fontes

Não são só as cores que podem influenciar a capacidade que alguém tem de ler o seu app. Design acessibilidade é também considerar o tamanho dos textos e o quanto isso pode influenciar a experiência de usuário. Pessoas mais velhas, ou mesmo alguém sem óculos, podem precisar mudar o tamanho do texto em um aplicativo para conseguir usá-lo. Para atender a esses usuários, considere adicionar a opção de configurar o tamanho das letras no seu sistema.

Quando falamos em tipografia há algo mais que você pode fazer para atingir um público maior. Permitir que o usuário a customize, oferecendo pelo menos duas opções, é uma ótima maneira de incluir os disléxicos. Há fontes especiais com variações em peso e tamanho entre letras que impedem que eles se confundam com as palavras.

3. Observe o touch target

Essa questão de acessibilidade não se restringe à inclusão de pessoas com a mobilidade reduzida. Você provavelmente já se viu em uma situação na qual teve de clicar mais de uma vez para conseguir que uma ação fosse realizada dentro de um app. Isso acontece por causa do touch target.

Esse ponto que determina o espaço que deve ser utilizado para que um clique dê resultado é definido pelos designers e desenvolvedores. Aumentá-lo favorece o toque tanto em telas maiores quanto para tamanhos de dedos e mãos diferentes. Na fase de testes certifique-se de que o tamanho dos botões não é prejudicial ao uso e inclua pessoas de idades e níveis de familiaridade digital diferentes para observar as variações.

4. Descreva os elementos da tela

A maioria das pessoas com problemas visuais utiliza softwares de leitura de tela. Eles absorvem a informação, em texto, que se encontra dentro dos softwares e fazem uma leitura rápida delas para aumentar a acessibilidade em apps.

Descrever o layout de um software mobile, os pontos de contato para que um usuário o opere e incluir notas sobre o que está contido em imagens é uma tarefa que demora pouco tempo e faz um design mais acessível. Inclua ela na checklist do seu aplicativo corporativo.

5. Utilize alternativas visuais ao som

Embora o som possa ajudar aqueles que têm dificuldades visuais ele pode ser prejudicial a quem não ouve. Portanto, da mesma forma como deve fazer descrições para as imagens e textos que estão incluídos no app, você precisa considerar os vídeos e áudios que inclui no sistema.

Todos eles devem ser legendados para que alguém que não ouve possa ter acesso à mesma informação em comparação aos usuários que não têm deficiência. Se o seu aplicativo apresenta muitos indicadores sonoros (como notificações que indicam que uma ação foi completa), considere incluir uma legenda opcional no menu que aparece para quem solicita essa informação.

6. Evite os placeholders

É tentador colocar todas as informações de formulários dentro das caixinhas. Afinal, o layout fica bem mais limpo quando fazemos isso. Mas essa atitude pode prejudicar muitos usuários, já que o texto nos boxes costuma ser aplicado em tons de cinza que oferecem baixo contraste.

Coloque sempre as informações de que precisa (Nome, e-mail, telefone) em uma legenda acima de cada espaço do formulário. Dessa forma, os leitores de tela poderão captar o que está lá e os usuários conseguirão ver claramente o que é solicitado deles.

7. Pesquise seu público

Conhecer seus usuários terá um grande impacto no desenvolvimento de apps acessíveis. Pesquise a sua audiência e o tipo de dificuldades que ela pode ter. Em seguida, informe-se sobre o tema e busque maneiras de trazer todas as facilidades do seu aplicativo para esses usuários.

Um app utilizado internamente na empresa é um sistema fechado. Você sabe exatamente quem são os usuários e que desafios eles enfrentam, o que faz com que seja pouco complexo adaptá-los. Já um aberto para o público deve considerar mais opções e estar pronto para lidar com tantas variações quanto possível. Uma auditoria de acessibilidade é estratégica para garantir que o seu aplicativo está fazendo tudo certo.

Antes de procurar um fornecedor com uma ideia de aplicativo, é bom pensar em design e acessibilidade. A sua ideia deve levar em consideração usuários com necessidades especiais e é na fase de conceituação do projeto em que essas observações têm de ser feitas. Quanto mais você pensar no seu público-alvo, e nas limitações que ele pode ter, melhor conseguirá desenvolver um app com alto engajamento e popularidade.

Gostou de conhecer o design acessibilidade? Então, aproveite para ler nosso outro artigo e descobrir, por exemplo, que nos aplicativos nativos é mais fácil customizar projetos para que eles contemplem todo tipo de usuário!

  • Avaliações
5
Resumo do Artigo
Design acessibilidade: 7 fatores essenciais em um aplicativo
Título do Artigo
Design acessibilidade: 7 fatores essenciais em um aplicativo
Descrição
Design acessibilidade é a prática de fazer aplicativos, sites e outros softwares de maneira que possam ser aproveitados por todas as pessoas. Eles consideram aqueles que têm dificuldades motoras, visuais, de fala e cognitivas e oferecem alternativas para que consigam utilizá-los de maneira eficiente.
Autor
Empresa
Fit Mobile
Logo Empresa