Já se perguntou o que é design para aplicativos? É muito comum ouvir dizer que a diferença entre um app bom e um ruim está no seu design, mas poucas vezes pensamos exatamente o que essa palavra significa no contexto de um software para mobile.

Design para aplicativos é a criação de interfaces que atendem às expectativas do usuário quanto às interações e experiências. Ou seja, o desenvolvimento de soluções que fazem com que usar um app seja fácil e intuitivo.

Por que o design para aplicativos é tão importante? Nas perguntas e respostas abaixo, você entenderá melhor que impacto ele pode ter no sucesso de um app!

O que é design para aplicativos?

Design para aplicativos é a construção de estruturas que ajudam seus usuários a entender e operar de forma adequada a solução a eles oferecida. Design, nesse sentido, é muito mais do que criar um visual agradável para um app. Trata-se de associar arquitetura da informação, identidade visual, padrões de navegação e usabilidade para que quem fez o download do software consiga entender como utilizá-lo rapidamente e fazê-lo com sucesso.

O bom design de aplicativos é aquele que considera os conhecimentos que o consumidor já tem. Nesse sentido, são valorizados os designs para aplicativos que se adéquam às plataformas para as quais foram desenvolvidos e utilizam convenções que já estão enraizadas na mente das pessoas.

Pense, por exemplo, em como todos os softwares Adobe funcionam de forma similar. Eles compartilham os mesmos atalhos e executam funções próximas umas das outras, embora sejam feitos para fins específicos. Estamos falando aqui de usabilidade para softwares extremamente complexos, mas esse exemplo pode ser transposto para qualquer app.

Para que serve o design para aplicativos?

O design para aplicativos, portanto, serve menos à função de tornar um app bonito do que se imagina. Ele foi inventado para que todos os softwares para mobile pudessem ser adotados facilmente por usuários com níveis de familiaridade diferentes.

Você provavelmente já jogou Angry Birds ou utilizou um app para pedir uma entrega. Nenhuma dessas soluções exige que o usuário tenha amplo conhecimento dos ângulos mais adequados para arremessar os passarinhos ou de como um pedido chega até o restaurante. Todos eles apresentam para os seus usuários apenas as funções de que eles necessitam para se divertir ou alcançar um objetivo.

O design para aplicativos serve para suplantar essas limitações. Alguém que tem muita experiência com cálculos geométricos pode até ter mais facilidade jogando Angry Birds, mas até crianças e pessoas pouco íntimas das inovações tecnológicas entendem a lógica do game rapidamente. Isso, porque ele é construído para que constem ali apenas as informações relevantes para que o usuário tenha uma experiência positiva com o app.

É possível jogar Angry Birds sem jamais mudar as configurações padrão do app. Mas, assim que o usuário sente a necessidade de acessá-las, ele tem facilidade de encontrar o menu para isso e entender o que pode ou não ser customizado.

O mesmo pode ser inferido de outros softwares populares na App Store. Todos eles entregam exatamente o que prometem para os seus usuários, podem ser compreendidos em alguns minutos e “escondem” a complexidade por trás da tarefa que desempenham. Podemos dizer, então, que o design de aplicativos serve:

  • para ajudar o usuário a entender como operar um software;

  • para reduzir essa curva de aprendizagem para o menor tempo possível;

  • para fazer com que seja possível realizar tarefas complexas mesmo sem conhecer intimamente os processos necessários;

  • para indicar ao usuário maneiras de se orientar por todas as funções de um app, conforme ele necessita delas.

O que é preciso saber para fazer um bom design?

Agora que você já entende melhor a função do design para aplicativos, deve ter compreendido que essa tarefa é muito mais complexa do que parece, certo? Para criar um app corporativo ou não, com um bom design, devemos sempre considerar os fatores a seguir:

  • o perfil do usuário;

  • o objetivo do aplicativo;

  • a plataforma (iOS ou Android);

  • as situações de uso.

Outros pontos importantes, como a identidade visual de quem fez o app, também precisam ser considerados caso a caso. Dar visibilidade para uma marca deve ser prioridade dos designers, mas nunca pode ser feito em detrimento da funcionalidade do aplicativo.

Quais são os mitos do design para aplicativos?

Há alguns mitos no design para aplicativos que fazem com que as empresas não sejam tão bem-sucedidas nessa tarefa como gostariam. Endereçamos cada um deles nos tópicos abaixo.

Um aplicativo deve ser complexo

Para se diferenciar da concorrência, muitas organizações acreditam que devem fazer um app tão complexo quanto possível. Afinal, se, na solução de terceiros, já entram as funcionalidades A e B, a lógica nos diz que uma alternativa deve entregar pelo menos um benefício C.

Só que aplicativos não são utilizados apenas pelas suas features. Muitas vezes, damos preferência a um sobre o outro porque é mais fácil realizar aquelas tarefas A e B. Podemos inferir, então, que um bom aplicativo deve ser tão simples de se utilizar quanto possível.

Aplicativos precisam ser bonitos

Sempre que ouvimos a palavra “design”, a associamos a coisas belas. Não estamos inteiramente errados, porque um bom design geralmente resulta em um produto esteticamente agradável, porém, não é assim que a palavra é vista pelos profissionais. Em uma graduação na área, aprende-se que o design é uma estratégia para entregar soluções. O seu papel primordial na criação de aplicativos não é fazer com que eles sejam lindos, e sim tão fáceis de usar quanto possível.

Só é possível utilizar interações que já existem

Quando falamos em familiaridade, muitas pessoas assumem que só é possível adicionar aos seus aplicativos interações que já existem. Todavia, há pouco mais de dez anos, os apps sequer existiam e todas as convenções que tomamos como certas hoje foram inventadas em algum momento. Pense no movimento de pinça que faz com as mãos para aproximar ou afastar uma imagem. Ele não existia até que a Apple o inventou.

É sempre possível inserir novas funcionalidade e tipos de interações em um aplicativo. Devemos, porém, deixar essas novas interações claras para o usuário e observar como ele se adapta a elas. Aquelas que funcionam, eventualmente, tornam-se convenções como a que acabamos de mencionar aqui.

Um bom design para aplicativos pode fazer com que ele seja amplamente adotado pelas pessoas ou deixado de lado por outra solução. Ele deve ser uma preocupação de todos que desejam investir na área, porque é o fator fundamental no sucesso de um app.

E aí, conseguiu entender por que o design para aplicativos é importante? Siga a Fit Mobile no Facebook, Twitter, LinkedIn e Instagram e descubra tudo que alguém precisa saber para criar o app perfeito!