Diversas tecnologias surgidas nos últimos anos têm aberto possibilidades que até então eram inimagináveis para muitos setores. Atualmente, uma das novas ferramentas que tem sido adotada é a geolocalização.

Ela possibilita ter a localização geográfica de um objeto ou usuário em tempo real por meio de identificação do IP, de radiofrequência e ou coordenadas de GPS – este último mais comum aos smartphones.

As empresas têm utilizado esse mecanismo para melhorar a sua abordagem em suas campanhas de marketing, o que ficou conhecido como geomarketing. Quer saber o que é essa estratégia e como implementá-la em seu empreendimento? Então continue a leitura deste post e saiba mais sobre o assunto.

O que é geomarketing?

O geomarketing é justamente a incorporação da inteligência da geolocalização ao marketing, que surgiu em 2009 nos smartphones para melhorar a experiência do usuário. Desde então, o dono de um smartphone tem acesso a rotas de trânsito, compartilhamento de localização nas redes sociais e pode chamar até um táxi ou carro particular.

É nesse combo de funcionalidades que está incluso o geomarketing. A ferramenta visa melhorar a experiência do consumidor que utiliza um smartphone, oferecendo a ele produtos e mensagens que indiquem serviços no momento e nos locais em que as chances de conversão são maiores.

Quais são as principais estratégias de geomarketing?

As potencialidades dessa ferramenta vão muito além do exemplo mencionado. Existem diferentes formas de geomarketing e vamos mostrar como elas podem ser benéficas tanto para sua empresa quanto para o cliente e criar um ambiente de confiança entre esses dois atores. Confira!

Geotargeting

Geotargeting é uma ferramenta que exibe para o usuário conteúdo baseado em sua localização. Um portal de notícias, por exemplo, pode estruturar sua página principal usando o geotargeting como base, assim como um marketplace pode mostrar ao potencial cliente lojas que estejam na região em que ele se encontra.

Entre os benefícios desse modelo de geomarketing é possível citar a possibilidade de obtenção de novos clientes. Afinal, o recurso permite um discurso direcionado que tende a ser efetivo, além da elaboração de estratégias de retenção mais específicas e um aumento da base de dados da empresa – que poderá ser utilizada como base para outras ações. Outros benefícios são:

  • a empresa pode ter base para criação de conteúdo;

  • distribuição mais efetiva do orçamento;

  • planejamento de localização de futuros pontos de venda. Um exemplo disso, seria caso o aplicativo identificasse clientes de uma região que até então não constava no planejamento inicial, o que possibilita que novas ações possam ser pensadas.

Check-in

O check-in funciona para o usuário que já está em um determinado estabelecimento. Se a loja (ou prestadora de serviço etc.) usar essa ferramenta, ela pode criar ofertas, brindes ou qualquer exclusividade ao cliente. Atualmente bares, cafés e restaurantes permitem ao usuário ter acesso gratuito ao wi-fi do estabelecimento contanto que o cliente faça um check-in e deixe público que está naquele local pelo Facebook.

Como o check-in, também chamado de geotagging, depende de uma ação do usuário, o que o estabelecimento pode fazer é incentivar e facilitar essa ação, por exemplo, ao criar uma página no Facebook com informações completas do seu endereço.

Assim, o aplicativo da rede social consegue identificar o usuário que está no seu estabelecimento e oferecer a ele a opção de check-in. A configuração do wi-fi gratuito é feita a partir do roteador, com orientações disponíveis na página do Facebook.

Geofencing

O geofencing é uma ferramenta que visa oferecer conteúdo em tempo real tendo como base a movimentação do usuário. Ele pode ser aplicado como “gatilho” de consumo. Se o cliente está próximo de uma estação balneária, por exemplo, ele pode receber um “push” – uma notificação com mensagem de texto – oferecendo descontos em acessórios de praia, entre outras coisas.

Para isso, é preciso determinar uma área no mapa e, a partir de então, os usuários que estiverem nessa localidade receberão as notificações. Entretanto, a empresa terá que ter previamente a autorização do usuário para enviá-las. Um exemplo de geofencing é o que a própria Google faz: usuários do Android, que é o sistema operacional mais popular do mundo, usado em diversos países e regiões ao redor do globo terrestre, recebem dicas sobre trânsito, restaurantes e entretenimento.

Geoprocessamento

Outra ferramenta interessante é o geoprocessamento: o tratamento, com o uso de softwares, de informações espaciais ou de dados georreferenciados. Isso é feito com coleta de dados, armazenamento, tratamento e análise dessas informações. A coleta não é difícil de ser feita já que nos últimos anos ocorreu a chamada massificação do geoprocessamento graças ao Google Earth – ferramenta da Google com uma ampla base de informações geográficas do mundo todo.

É claro que haveria uma discussão a respeito da privacidade do usuário. Por isso, para essa e outras ferramentas mencionadas, é sempre imprescindível deixar claro ao usuário que os dados dele estão sendo usados para oferecer um serviço de maior qualidade.

Geobehavior

Como o nome diz, o geobehavior é um perfil comportamental do usuário. Essa ferramenta usa a localização do cliente em potencial para criar uma base de dados que resume quem é determinado usuário e como ele se comporta como consumidor. Tendo informações sobre a rotina de uma pessoa específica e o padrão de determinada região é possível “prever” as necessidades dos consumidores e as deficiências de cada local identificado.

Um exemplo disso seria uma cidade hipotética em que comércios e bares fecham às 0 h, quando 80% da população possui hábitos noturnos. O geobehavior deixaria claro que um fator de sucesso para um estabelecimento nesse local seria um horário de funcionamento diferenciado.

Falando em algo diferenciado, conseguiu compreender como o geobehavior e outras ferramentas que compõem o geomarketing podem representar um grande potencial na estratégia da empresa? Entretanto, é importante ressaltar que essas são apenas algumas alternativas para atrair clientes, fechar negócio, entre outras coisas essenciais para o seu projeto.

Conseguiu compreender como funcionam as ferramentas apresentadas? Caso ainda tenha dúvidas, deixe um comentário abaixo. Entraremos em contato o mais rápido possível!

Avaliações
  • Avaliações
5
Resumo do Artigo
Geomarketing: o que é e como aplicá-lo ao negócio?
Título do Artigo
Geomarketing: o que é e como aplicá-lo ao negócio?
Descrição
Diversas tecnologias surgidas nos últimos anos têm aberto possibilidades que até então eram inimagináveis para muitos setores. Atualmente, uma das novas ferramentas que tem sido adotada é a geolocalização. Ela possibilita ter a localização geográfica de um objeto ou usuário em tempo real por meio de identificação do IP, de radiofrequência e ou coordenadas de GPS – este último mais comum aos smartphones.
Autor
Empresa
Fit Mobile
Logo Empresa