Hoje em dia, não importa qual o modelo de negócios ou orçamento disponível, é imprescindível disponibilizar uma plataforma on-line para melhorar a experiência do consumidor e, assim, alavancar ainda mais os resultados da empresa.

Até pouco tempo atrás, apenas grandes empreendimentos contavam com aplicativos, mas hoje em dia está cada vez mais fácil incluir sua empresa na era digital. Com a variedade de smartphones, a tendência é que a diversidade de aplicativos seja também cada vez maior.  

Na correria do dia a dia, os consumidores acabam passando mais tempo com o celular do que em um computador, sem abrir mão de obter uma boa experiência de acesso e da necessidade de ter seu problema resolvido da forma mais prática e rápida.

Mas o que é necessário para criar um aplicativo? Qual profissional buscar? Quanto tempo leva? Qual o custo? As perguntas não param de surgir, não é mesmo? Se você é um empreendedor e gostaria de aprender mais sobre o modelo de negócios e como criar um aplicativo, reunimos neste post tudo que você precisa saber sobre o assunto.

1. Por que estruturar o modelo de negócios para o seu aplicativo?

O modelo de negócios é a forma que sua empresa cria, entrega e captura valor, ou seja, é a forma que a empresa vai resolver o problema de seu cliente e quanto vai cobrar por isso. Portanto, é necessário identificar quem é o cliente e qual o problema que ele apresenta para dar início ao desenvolvimento de uma estratégia. 

O primeiro passo é identificar seu cliente e entender quais são suas necessidades reais. A partir dessas definições, inicia-se o brainstormingque é basicamente uma dinâmica em grupo que reúne uma chuva de ideias que não seguem nenhum padrão ou regra. Então, é hora de começar a reunir as ideias mais relevantes e trabalhar mais detalhadamente em cima delas.

Esse processo pode ser bem mais complexo do que parece, mas hoje contamos com diversas ferramentas e metodologias que auxiliam no procedimento. A mais utilizada é o Canvas, que vamos explicar detalhadamente a seguir. 

2. O que é o Canvas?

O Business Model Canvas, popularmente conhecido como Canvas, é uma ferramenta de planejamento estratégico muito utilizada nos dias atuais. Ela permite desenvolver, de modo simples e intuitivo, modelos de negócio, seja ele novo ou já existente. Muitas pessoas dizem que o Canvas é uma espécie de continuação do brainstorming, mas de forma organizada. É como se você pegasse todas as informações obtidas por ele e colocasse, de forma ordenada, em um quadro.

O Canvas consiste em um quadro com 9 espaços, onde cada um vai representar uma área do seu negócio e a estratégia a ser adotada pela empresa. O ideal é que cada um desses campos seja preenchido com blocos adesivos (tipo post-it) para que seja fácil a manutenção e organização das ideias ao longo do processo, podendo incluir, modificar ou excluir a qualquer momento. Os espaços contêm:

  • proposta de valor: deve ser identificado o problema do cliente, o que sua empresa poderá fazer para ajudá-lo e qual será a solução apresentada. Nesse campo é definido o pacote completo de produtos ou serviços que a empresa irá oferecer;

  • segmento de clientes: qual é o público-alvo e o grupo de clientes que sua empresa pretende atingir;

  • canais: nesse campo é colocado os meios de comunicação que serão disponibilizados, a forma que o cliente entrará em contato com sua empresa e como receberá seu produto/serviço;

  • relacionamento com clientes: aqui o projeto foca na forma de estabelecer e manter relações, captação de novos clientes, assim como fazer manutenção das relações já estabelecidas anteriormente;

  • atividade-chave: são as atividades que devem ser desenvolvidas para que a empresa possa entregar a proposta de valor a seus clientes;

  • recursos principais: são os recursos básicos necessários para que as atividades possam ser realizadas. Nesse campo entram os recursos financeiros, físicos e o capital humano;

  • parcerias principais: são as parcerias que a empresa firmará para seu melhor funcionamento. Seja na terceirização de serviços, aliança com grupos não concorrentes ou até mesmo uma parceria sólida com algum fornecedor para garantir vantagem para ambas as partes;

  • fontes de receita: são todas as fontes que gerarão renda, seja um cliente, uma parceria, publicidade, etc. É importante pensar em quanto o cliente estará disposto a pagar pelo produto ou serviço e como será a forma de pagamento;

  • estrutura de custos: são os custos fixos e variáveis relevantes para o funcionamento do negócio. É onde as partes mais caras do negócio são identificadas.

3. Como utilizar o Canvas no modelo de negócios para o seu aplicativo?

É natural que o empreendedor se depare com inúmeros questionamentos na hora de começar um negócio, como o que é necessário, qual o investimento, qual é o potencial do empreendimento, o que oferecer para se destacar no mercado, entre outros. É nesse momento que o empreendedor pode contar com o Canvas para encontrar todas essas respostas e muito mais.

O desenvolvimento de aplicativos exige tanto cuidado como abrir uma nova empresa — demanda planejamento, investimento e precisa apresentar soluções para que seja obtido o retorno necessário. Por meio do Canvas, o empreendedor poderá definir, por exemplo, se o aplicativo será gratuito, se terá assinatura, anúncios, em quais plataformas estará disponível, qual a experiência que deseja levar ao cliente, qual será o investimento, etc.

4. O que está envolvido na criação de um aplicativo?

A criação de um aplicativo pode ser muito mais complexa do que parece, por isso deve ser desenvolvida por profissionais capacitados e com experiência em software. Mas não se desespere, vamos explicar a seguir os profissionais necessários e a função de cada um para sua criação. Mas antes, é importante saber que o aplicativo é composto por duas partes. São elas:

  • painel administrativo: é um software web bem semelhante a uma página de internet. É por meio dele que os administradores do aplicativo vão editar as informações e ter acesso a tudo relacionado ao app. Em um aplicativo de compras, por exemplo, o painel será o local que o administrador poderá editar informações como o preço, disponibilidade e valores dos itens. Todas as informações inseridas serão exibidas no app para o usuário final.

  • aplicativo para smartphone: esse é o aplicativo que o cliente baixa de acordo com o sistema operacional de seu celular (App Store para aparelhos da Apple, Google Play para Android e Windows Store para Windows Phone). Por ser um software, ele ficará instalado no celular e sempre que o usuário fizer alguma ação no aplicativo, ele se conectará ao banco de dados do painel administrativo para levar e buscar informações.

Profissionais Envolvidos

Agora vamos conhecer um pouco sobre os profissionais necessários para o desenvolvimento e execução de aplicativos para celular:

  • Designer: profissional responsável pela elaboração do desenho e interface, prezando a usabilidade que é um elemento fundamental para o sucesso do aplicativo. Esse cargo é conhecido também como Front End Designer ou Front End Engineer.
  • Web Designer: responsável por aplicar o layout projetado pelo designer. As técnicas são muito semelhantes a de um site, o que muda é o tipo de tecnologia usada;

  • Analista de Sistemas: o analista é responsável por compreender a necessidade apresentada pelo cliente, especificando por escrito o que é preciso fazer no projeto. Em alguns casos esse profissional também ajuda na programação;

  • Arquiteto de Software: o profissional analisa o projeto e suas necessidades, definindo assim a arquitetura técnica que melhor se encaixa. Muitas vezes ele também tem participação na programação do aplicativo, assumindo as partes mais complexas;

  • Desenvolvedor / Programador: esse profissional é a peça-chave, tanto é que representa em média 50% do esforço total de um projeto de desenvolvimento de app. Ele é responsável em transformar todas as especificações do negócio em códigos, seguindo as orientações técnicas do arquiteto e a análise funcional do analista de sistemas. Esse código faz ligação com a camada visual e o banco de dados para a leitura, gravação e exposição das informações;

  • Analista de Banco de Dados (DBA): muitas vezes esse papel é executado pelo analista, arquiteto ou programador, mas quando falamos de projetos maiores, é essencial que tenha um DBA (Database Analyst). Esse profissional assume a responsabilidade de definir a arquitetura do banco de dados e também apoiar na criação de comandos para tratamentos das rotinas mais complexas de manipulação de dados;

  • Analista de Testes: esse papel muitas vezes é executado pelo próprio analista de sistemas e consiste em fazer a validação do app, verificando se a codificação cumpriu o que foi solicitado e se não há erros — mais conhecidos como bugs, quando se fala de sistema;

  • Gerente de Projetos ou Coordenador: responsável por distribuir as tarefas para os profissionais, criar e acompanhar o cronograma do projeto.

Muitos projetos conseguem reunir mais de uma função em um mesmo profissional, reduzindo os custos, mas isso depende do tamanho e da complexidade de cada um. No entanto, é essencial que se tenha pelo menos um desenvolvedor e um designer experiente na equipe.

5. Por que investir em uma empresa especializada?

Se você não possui experiência ou conhecimento em programação, pode levar muito tempo de estudo em tempo integral para conseguir trabalhar com a linguagem da programação de forma eficiente. E não se trata apenas de códigos, quando falamos de dispositivos móveis, o design e a linguagem conseguem ficar ainda mais complicados.

Portanto, se você deseja oferecer uma boa apresentação e experiência de navegação a seus clientes, o melhor é investir em uma empresa de aplicativos especializada. Além da garantia de um bom aplicativo, você terceiriza uma preocupação, já que terá uma equipe especializada pronta para cuidar de qualquer problema que possa surgir no meio do caminho.

6. Quais as vantagens de se ter um aplicativo?

Se sua empresa já possui um site, não há necessidade de um aplicativo, certo? Errado! O site normalmente é encontrado através de pesquisas em sites de buscas e, na maioria das vezes, os visitantes são novos, ou seja, ele acaba sendo a apresentação da sua empresa e do que ela oferece. Já o aplicativo é usado por quem já é seu cliente e facilita muito na aproximação e fidelização.

Vale lembrar que aplicativo e versão mobile são coisas completamente diferentes. Versão mobile nada mais é do que o site comum em uma versão adaptada para o acesso através do celular. Já o aplicativo é um software adquirido através de uma loja de acordo com a plataforma do smartphone.

As vantagens de se ter um aplicativo para sua empresa são inúmeras, mas vamos listar as mais relevantes:

Volume de acesso

Quem hoje em dia não tem um smartphone, não é mesmo? O aparelho virou item básico de sobrevivência nos dias atuais e o mercado mobile no Brasil apresenta um crescimento de cerca de 60% ao ano. Além disso, a média de uso diário dos aparelhos pela população é de 8 horas, sendo sua maior parte acessando os aplicativos.

Por isso, ter um aplicativo para sua empresa é indispensável se você deseja acompanhar o ritmo de crescimento e se destacar perante seus concorrentes.

Facilidade

Não tem como negar que é muito mais fácil você utilizar um produto ou serviço de uma empresa que você já tem no menu do seu celular do que acessar o navegador para encontrar o que precisa, isso sem contar que a experiência de navegação em sites pelo celular podem ser bem negativas.

Por isso, o aplicativo acaba sendo uma forma de aproximar seus clientes. Ele sempre estará na palma das mãos e costuma apresentar uma interface muito mais intuitiva e prática, além de atualizações constantes e a facilidade em dar um feedback apresentando os pontos positivos e negativos encontrados por eles.

Outro ponto importante é que os sites precisam de internet para funcionar, já os aplicativos, dependendo do produto ou serviço oferecido, podem contar com funções off-line, o que agrega ainda mais valor.

Fidelidade

Como citado anteriormente, é muito mais prático você acessar um aplicativo do que um navegador, isso sem contar que qualquer ação que o cliente vá fazer no celular, lá estará a sua marca estampada na tela inicial. Isso ajuda o cliente a fixar seu nome e lembrar com mais facilidade quando precisar de algo que a sua empresa ofereça.

Outro ponto importante são as notificações por push — pequenos lembretes que podem incluir avisos e ofertas —, além de, mais uma vez, fazer seu nome ser lembrado. 

Vendas

Claro que aumentar as vendas é o objetivo de qualquer empresa, então nada mais interessante do que desenvolver um aplicativo para ajudar nessa tarefa.

Além dos pontos já abordados como facilidade de navegação, o uso do aplicativo facilita o armazenamento das preferências do cliente para compras futuras e ajuda na hora de sugerir algum produto/serviço baseado em seu histórico e preferências.

Banco de dados

Ao baixar um aplicativo, você tem a opção de pedir um cadastro para poder navegar. Esse cadastro é muito importante para uma empresa, pois é a partir dele que você irá coletar as informações e preferências do cliente.

Com esses dados em mãos você poderá criar e alimentar um banco de dados mais concreto e rico em informações, além de oferecer sugestões mais assertivas e individuais. Você conseguirá informações como e-mail — para enviar as novidades e promoções periodicamente —, conseguirá ter acesso a faixa etária, sexo, região em que reside e diversas outras informações que podem ser úteis de acordo com o segmento da sua empresa e o que você tem a oferecer. 

Conhecer seu público é essencial para qualquer estratégia de marketing, pois é assim que você obterá informações sobre suas necessidades reais e principais dificuldades.

7. Como deixar seu aplicativo mais atrativo?

Confira a seguir algumas dicas para o seu app ser atrativo e eficaz:

Funções exclusivas

Um aplicativo deve ser encarado como uma extensão de sua empresa. Além de todos os serviços já oferecidos, é aconselhado que o app apresente funções exclusivas para incentivar os clientes a utilizá-lo. Se for uma loja, pode oferecer descontos exclusivos, por exemplo. Isso faz com que o cliente identifique vantagens reais e passe a usar com mais frequência e indicar para outras pessoas.

Outra boa jogada é oferecer uma versão gratuita e uma paga do aplicativo, onde a paga dará acesso a mais ferramentas exclusivas.

Cuide da apresentação

Quando falamos de apresentação, não estamos nos referindo apenas a interface e a navegação, mas também à forma que esse aplicativo será apresentado aos seus clientes.

No momento em que o consumidor acessa a loja do smartphone, procurando algum app, é imprescindível que ele tenha acesso às informações bem especificadas e a imagens que ilustrem bem a solução oferecida pela sua empresa. Esse ponto muitas vezes é decisivo na hora da realização do download, mesmo o app sendo gratuito.

Atualizações constantes

Depois de tudo pronto é hora de relaxar e colher os frutos de todos os trabalhos, certo? Não mesmo! Na era da internet, é impressionante a velocidade em que as coisas acabam se tornando obsoletas, portanto os aplicativos necessitam de constantes atualizações, seja para incluir alguma funcionalidade, corrigir bugs ou ajustar a compatibilidade com as novidades em smartphones apresentadas no mercado.

Faça muitos testes

Não se contente com um ou dois testes. Garanta o apoio de uma equipe especializada e capacitada para a realização de avaliações constantes em cada detalhe do aplicativo. Nada pior do que uma má experiência de navegação, ainda mais quando você está a procura de uma solução para um problema.

Faça testes você mesmo se colocando no lugar do usuário. Peça para amigos e familiares testarem também, pois muitas vezes nossos olhos ficam viciados e podem deixar passar algo que seria facilmente percebido. Se atente a gramática e ao acordo ortográfico, isso interfere diretamente na reputação da empresa.

Divulgue

Não adianta investir milhões em um bom aplicativo e depender apenas do marketing boca a boca. Invista em publicidade, parcerias e anúncios. Faça sua empresa e seu aplicativo serem notados. Ofereça benefícios e exclusividade. Mostre ao cliente tudo que ele terá de retorno utilizando seu app. Esteja nas mídias e nas redes sociais que ele utiliza.

8. Quais os custos envolvidos na criação de um aplicativo?

Muita gente tem a dúvida de quanto custa criar um aplicativo, mas a verdade é que depende de diversos fatores. Isso acontece porque os profissionais dessa área costumam cobrar por hora. Em geral, um aplicativo de pequeno porte consome de 150 a 500 horas para ser desenvolvido, custando em média de R$ 25 mil a R$ 80 mil, enquanto aplicativos mais complexos podem custar de R$ 150 mil a R$ 300 mil.

Um aplicativo pequeno pode demorar de 2 a 4 meses, enquanto um grande demora de 6 meses a 1 ano. Mesmo em projetos de 150 horas, não é possível desenvolver em um mês. As etapas exigem interações de pessoas distintas e diversos testes, o que impacta na sequência contínua do projeto.

Os gastos não param por aí. Depois de pronto, o aplicativo necessita de manutenções, atualizações e hospedagem em um servidor. Mais uma vez os valores vão variar de acordo com o tamanho e complexidade do projeto. O custo se inicia em R$ 500 mensais, mas em casos com grande volume de uso, que necessitem de servidores mais potentes, o custo pode variar de R$ 5 mil a R$ 30 mil por mês.

Empresa de Desenvolvimento de Aplicativos

Tendo em vista toda a complexidade e os custos envolvidos no desenvolvimento de um aplicativo, devemos reforçar a importância de procurar uma empresa renomada, que atenda as necessidades do empreendimento e que apresente uma equipe de profissionais capacitados na hora de desenvolver um aplicativo. 

Não há dúvida das vantagens e das infinitas possibilidades oferecidas por um aplicativo e da importância de um modelo de negócios bem estruturado para se destacar no mercado. As empresas precisam sempre acompanhar de perto as tendências e as necessidades apresentadas por seus clientes, se mantendo cada vez mais próximas deles e à frente de seus concorrentes.

Agora que você já sabe como montar um bom plano de negócio e o que é necessário para o desenvolvimento de um aplicativo para sua empresa, assine a nossa newsletter e fique por dentro de mais conteúdos como este e se mantenha sempre atualizado. Até a próxima!