Você sabe o que é API? A “application programming interface”, ou interface de programação para aplicações, é um recurso fundamental para as empresas que lidam com tecnologia.

Ela “esconde”, por assim dizer, a complexidade da operação de softwares dos desenvolvedores, permitindo que parceiros de negócios utilizem um recurso sem precisar conhecer profundamente as suas particularidades.

Em outras palavras, as API’s fazem com que uma função possa ser reutilizada por outra pessoa sem que precise criá-la do início ao fim. Para explicar isso melhor, veremos neste post o que está por trás desse conceito e quais são os benefícios de se investir em uma API para o seu software. Vamos lá? Continue lendo!

Afinal, o que é API?

Ali na introdução, já exploramos um pouco do conceito dessa tecnologia, mas passamos só pelo esqueleto de como ela funciona. Pois bem, as API’s foram desenvolvidas para que, ao se criar um software, os desenvolvedores não precisem escrever todas as suas linhas de código.

Inicialmente, isso pode dar a entender que isso só serve para beneficiar os programadores, m as esse não é o caso. API’s eliminam uma série de problemas comuns ao desenvolvimento de aplicações, como a integração entre elas. Digamos que a sua empresa queira desenvolver um aplicativo corporativo, mas permitindo que as pessoas façam login ou cadastros nele utilizando suas contas de outras ferramentas, como o Google e o Facebook. Nesse caso, será preciso uma API.

Inclusive, ela resolverá não apenas os principais desafios em relação à compatibilidade da solução que os seus desenvolvedores criaram, mas também acelerará o tempo necessário para concluir o seu app. Portanto, poupará recursos. Mesmo que escolha desenvolver um software do zero, a sua empresa precisará de API’s. Os desenvolvedores que você contratar vão criá-las para tornar o seu trabalho mais eficiente, reutilizando componentes que se repetem.

Também vale ressaltar que essas aplicações ainda especificam como os softwares interagem internamente, e realizam funções específicas. Por exemplo: se um carrinho de bate-bate — daqueles que vemos em parques de diversões — tivesse uma API, ela lhe descreveria como acelerar e virar para a direita ou para a esquerda. Podemos dizer, portanto, que as API’s descrevem o que é uma ação e como ela acontece.

Para que servem as API’s?

A explicação anterior pode parecer um pouco complexa, mas, se algum dia você precisar explicar o que é API para alguém, basta dizer que se trata de uma camada de abstração. Interfaces de programação para aplicações estão em todas as partes do desenvolvimento de softwares, sendo fundamentais à ciência da computação. Isso porque elas descrevem operações intelectuais que não têm, necessariamente, uma correspondência com a realidade.

Cafeterias em locais públicos, como universidades, costumam contar com máquinas de refrigerante. Nelas, o usuário insere dinheiro, aperta um botão e recebe um produto. O botão, nesse caso, é uma abstração do ato de escolher uma bebida, como ocorreria em uma geladeira comum.

Ele recebe uma informação (o pressionar), e age sobre ela. E, tal qual uma API, esse botão esconde o que acontece por trás da máquina, que processa o pagamento e entrega o refrigerante.

Imagine, então, quão complexo seria se essa informação não estivesse pré-programada. Se a máquina precisasse, como um atendente humano, ouvir o pedido, processar o pagamento, selecionar a bebida e lhe entregar. Tudo seria muito mais complicado, certo? Assim, as API’s servem justamente para automatizar etapas de trabalho recorrentes, e torná-las mais eficientes.

Como uma API beneficia os negócios?

Que tipos de vantagens a sua empresa pode obter ao desenvolver ou utilizar API’s na criação de softwares, sejam eles mobile ou não? Listamos 5 deles!

Agilidade

API’s internas fazem com que as principais funcionalidades de um aplicativo sejam acessadas rapidamente. Isso significa que o novo código não precisa ser escrito toda vez que uma ação é realizada, tornando o aplicativo mais leve e ágil. Esse é um fator de usabilidade, já que aplicativos mais velozes oferecem vantagens para o usuário.

Monetização

Interfaces de programação também podem ser monetizadas e trazer rendimentos para a sua empresa. É possível cobrar um cliente toda vez que ele realizar uma chamada ou se inscrever para utilizar a API, por exemplo — o que significa que, quando parceiros usam os seus recursos, eles pagam um valor para você.

Auditoria de acessos

Outra característica das API’s é que elas podem ser monitoradas. No Azure Monitor, por exemplo, dá para visualizar logs de atividades, diagnósticos e métricas da sua API, acompanhando coisas como chamadas não autorizadas.

Segurança

Quando o seu aplicativo utiliza API’s para se conectar a outros serviços ou dar acesso a funções dele para terceiros, não é preciso abrir o código da aplicação. Uma API lhe orientará a respeito do uso de funcionalidades específicas, e as integrará com facilidade aos outros softwares.

Quais são as principais API’s no mercado?

Agora que você já conhece bem as API’s e o que elas fazem, que tal olhar alguns casos reais do seu uso? Explicaremos, abaixo, como quatro das principais interfaces de programação para aplicações atuais funcionam.

Google Maps

Para o Google Maps, foi criada uma API que permite integrar as principais funcionalidades do sistema de mapas. Ela é empregada em ferramentas como o Chicago Crime, site feito para acompanhar as principais ocorrências criminais nas ruas de Chicago. Integrando informações georreferenciadas sem que elas precisem ser programadas do zero, essa API foi facilmente associada aos boletins de ocorrência registrados na cidade, oferecendo informações em tempo real.

Facebook

A API do Facebook é um código que serve para além de conectar pessoas a essa rede social. Ela inclui ferramentas de negócios, inteligência artificial e realidade virtual, para permitir que desenvolvedores interajam com essa rede social plenamente. Cada uma dessas API’s orienta como esses sistemas funcionam por dentro — como a PyTorch, que permite criar sistemas rapidamente utilizando as capacidades de deep learning, desenvolvidas pelo time do Facebook.

YouTube

Para o YouTube, a Google desenvolveu uma API que potencializa a criação de negócios que utilizam essa rede social. Um bom exemplo do seu uso é a maneira como ela funciona no aplicativo Flipboard. Basicamente, a revista visual integra vídeos do YouTube sem exigir que o usuário abra outro aplicativo para visualizá-los ou acesse a rede social para ver uma playlist com múltiplos deles.

Dropbox

Dropbox é outro serviço cuja API é muito utilizada hoje em dia. Ele ajuda empresas a oferecer serviços de armazenamento em nuvem dos dados locais de seus clientes, permitindo ainda que façam backups das interações realizadas dentro do app. O WhatsApp é um dos que utiliza essa funcionalidade, suas conversas podendo ser armazenadas no Dropbox e recuperadas caso o usuário troque de aparelho.

Enfim, conseguiu entender melhor os benefícios das API’s e como elas funcionam? Sem dúvida, são ferramentas que ajudam o seu negócio a criar soluções melhores e a entregar produtos mais seguros e resilientes. Portanto, não deixe de conversar com o seu desenvolvedor sobre o uso dessas interfaces de programação!

E agora que já sabe o que é API, que tal continuar acompanhando o nosso conteúdo para aprender mais sobre o universo da tecnologia? Curta a página da Fit Mobile no Facebook e fique por dentro dos próximos posts!

Avaliação
  • Artigo
5
Resumo do Artigo
Entenda, de uma vez por todas, o que é API e como funciona
Título do Artigo
Entenda, de uma vez por todas, o que é API e como funciona
Descrição
Você sabe o que é API? A "application programming interface", ou interface de programação para aplicações, é um recurso fundamental para as empresas que lidam com tecnologia.
Autor
Empresa
Fit Mobile
Logo Empresa