Produto Mínimo Viável ou MVP, sigla de Minimum Viable Product em inglês, é o termo que designa um produto com características suficientes para satisfazer consumidores. Seu objetivo, basicamente, é gerar feedback para criação de melhorias no futuro.

Ganhar insights de um MVP é uma boa ideia para o um negócio quando ele precisa adquirir conhecimento sobre o que o mercado deseja, mas não tem recursos o bastante para investir no desenvolvimento de um produto completo. Isso porque ele reduz o risco na inovação, já que não causa grandes perdas para as empresas caso elas tenham feito uma decisão equivocada.

Ele pode ser equiparado ao desenvolvimento orientado por testes, que está presente no Agile. Nesse sentido, a ideia de implementar primeiro e programar depois funciona como uma de suas bases.

Mas, afinal, como o MVP pode ser vantajoso para uma empresa? É isso que exploraremos nos tópicos a seguir. Continue lendo e confira!

Teste uma solução rapidamente com o Produto Mínimo Viável

A abordagem MVP foi criada no início dos anos 2000 e popularizada dentro da metodologia Lean Launchpad (algo como “plataforma de lançamento enxuta”, em tradução livre).

Essa plataforma é uma metodologia para se empreender e foi criada levando em consideração o quadro de modelo de negócios, o desenvolvimento centrado no consumidor e a engenharia Agile.

Nesse sentido, o Produto Mínimo Viável tem como objetivo testar uma hipótese utilizando a menor quantidade de recursos possível, reduzir as horas de trabalho empenhadas por uma equipe e fazer com que produtos cheguem a consumidores o mais rápido possível.

Ao oferecer as principais funcionalidades que você imaginou para a uma solução, o MVP permite que sejam testadas hipóteses e acumulada inteligência. E essa inteligência será utilizada pela equipe para desenvolver o produto final, com uma miríade de funções complexas e uma proposta de valor clara.

Essa é a melhor estratégia que se pode empregar para, por exemplo, testar um aplicativo gastando apenas uma fatia do valor planejado inicialmente.

Se ele tiver uma resposta positiva do público, o feedback recebido pode ser utilizado para melhorá-lo. E o custo de desenvolvê-lo será absorvido pela projeção de vendas criada com base nessa resposta.

Reconheça falhas e trabalhe na evolução do produto

Muitas vezes, temos uma percepção do mercado que é bastante diferente da sua realidade. Mas iniciativas como o MVP nos ajudam a alinhar expectativas e entender qual é o melhor caminho.

Se um Mínimo Produto Viável tem falhas, essas podem ser corrigidas antes do lançamento oficial. E, como todo o processo é interativo, colocando o consumidor no centro do desenvolvimento, as respostas encontradas serão mais precisas.

O MVP é também uma forma de construir uma base de usuários para uma determinada solução. Afinal, com ele, é possível testar as águas e descobrir que aspectos podem ser modificados em uma criação para que ela venda mais ou tenha um ROI maior.

Melhore o custo-benefício de criar produtos

Os produtos mais maduros e consolidados hoje no mercado são aqueles que tiveram tempo para evoluir. Pense, por exemplo, no iPhone: quando ele surgiu, muita coisa era diferente no ambiente da tecnologia. Muitos duvidavam que telefones teriam o protagonismo que têm hoje.

Com o passar do tempo, porém, a Apple ouviu os seus usuários e os respondeu. Então, o smartphone evoluiu para o produto que conhecemos e, ainda que possamos esperar muito do futuro, ele já deixou de ser um Mínimo Produto Viável.

Além disso, você deve se lembrar da diferença de custo do primeiro iPhone para o último modelo. Isso só foi possível porque esse produto, criado interativamente, foi melhorando com o passar do tempo.

Todo o investimento feito pela empresa no seu desenvolvimento se refletiu em vendas, e é por isso que a Apple, atualmente, é muito mais conhecida por dispositivos móveis do que pelos seus computadores, certo?

Pois o que o MVP permite é que o seu negócio faça algo parecido com isso. Dá para aumentar o valor das soluções entregues (aumentando, consequentemente, o seu lucro) e melhorar a relação de custo-benefício na criação de produtos, porque o custo de fazê-los é diminuído.

Quanto mais informação uma empresa adquire sobre o mercado e o produto que acabou de lançar, menor é o risco que ela corre ao inovar. Assim, ao longo do tempo os benefícios se acumulam, e os investimentos feitos são todos baseados em inteligência.

Observe o comportamento do consumidor em tempo real

O MVP reduz o retrabalho, melhora o custo-benefício e faz com que uma empresa consiga lançar produtos cada vez melhores, mais alinhados ao mercado. E ele faz tudo isso porque permite que o comportamento do consumidor seja observado em tempo real.

Além de criar relações com os clientes mais rápido do que uma solução completa criaria, o Mínimo Produto Viável dá ao negócio uma janela para a percepção do cliente. Ele traz estatísticas de uso, opiniões e expectativas para o processo de criação e faz com que este seja otimizado.

Outro grande benefício do MVP é que ele reduz o ciclo de vida que governa a adoção de uma nova tecnologia. Como é endereçado a early adopters, a sua principal função é a de trazer clientes para um negócio e fidelizá-los. E esses clientes desenvolvem uma relação mutuamente benéfica com as empresas.

Ao mesmo tempo em que recebem soluções de ponta antes de todo mundo, eles são também mais propensos a oferecer retornos. Sugestões de novas funcionalidades e ideias de mudanças aparecem mais rapidamente quando você lança um beta e convoca a participação dessa comunidade de usuários.

Isso sem contar que, quando o assunto é marketing, os early adopters também são os clientes ideais. Afinal, eles estão mais propensos a falar de um produto para outras pessoas e costumam ser influenciadores em seus círculos sociais. Por isso, apostar neles pode lhe fazer vender mais.

Enfim, o Produto Mínimo Viável tem sempre aquelas funções fundamentais para definir o produto, e nada mais que isso. Ele pode ser uma boa alternativa para o um negócio pois pode ajudá-lo a coletar o máximo de dados válidos, e com o mínimo de esforço.

Com um Produto Mínimo Viável é mais fácil montar um Plano de Negócios. Ele vai lhe mostrar quanto espaço há no mercado para uma determinada ideia e evidenciar qual deve ser a proposta de valor de uma empresa. Inclusive, se você gostou deste post, aproveite para conferir como desenvolver um Plano de Negócios!

Avaliações
  • Artigo
5
Resumo do Artigo
Produto Mínimo Viável (MVP): entenda de uma vez o que é!
Título do Artigo
Produto Mínimo Viável (MVP): entenda de uma vez o que é!
Descrição
Produto Mínimo Viável ou MVP, sigla de Minimum Viable Product em inglês, é o termo que designa um produto com características suficientes para satisfazer consumidores. Seu objetivo, basicamente, é gerar feedback para criação de melhorias no futuro.
Autor
Empresa
FIT Mobile
Logo Empresa