Com a consolidação da tecnologia, principalmente as móveis, os clientes tornaram-se mais exigentes e querem que tudo seja resolvido na palma de suas mãos. Porém, essa realidade não se restringe somente ao cotidiano, mas também, aos processos das empresas. Pois, para responder à demanda do público e sobreviver ao mercado competitivo é preciso vencer a resistência e inovar as atividades internas, ou melhor, investir em automação.

Só que para isso é necessário vencer a resistência da cultura organizacional tanto da alta administração — que pode encarar como um risco para a empresa — quanto dos colaboradores — que podem pensar que seus empregos estão com os dias contados.

A fim de te ajudar a vencer esse desafio, pesquisamos o que você precisa fazer para investir na automação do seu setor. Boa leitura!

Vencer a resistência e convencer os superiores

Se você é um gestor e percebeu que o trabalho da sua equipe será mais produtivo se a tecnologia se aliar aos processos, será necessário convencer seus superiores. Porém, isso não é tão simples assim, uma vez que, a maioria deles, a princípio, podem pensar que esse tipo de investimento é, na verdade, um gasto ou, até mesmo, um desperdício de dinheiro. Sem falar que, para alguns, essa transição pode soar como algo arriscado demais para o momento.

Para fazer com que eles enxerguem a real necessidade disso é preciso pesquisar sobre todos os retornos positivos que a automatização trará para a empresa. Uma lista de benefícios, por exemplo, pode ser uma excelente forma de convencer a alta ADM.

Benefícios da tecnologia

Confira uma lista com os benefícios mais perceptíveis após a implantação da tecnologia que, inclusive, você pode utilizar na sua reunião de negociação:

  • simplificação dos fluxos de trabalho;

  • localização de gargalos nos processos;

  • identificação de oportunidades de otimização nos processos estratégicos e operacionais;

  • melhor distribuição de recursos;

  • otimização da comunicação entre pessoas e entre setores;

  • diminuição ou eliminação de erros e falhas, além de desperdícios;

  • unificação e atualização de dados e informações;

  • identificação de riscos;

  • informatização de processos;

  • aumento da qualidade dos produtos e serviços;

  • mais produtividade;

  • redução do tempo de realização das atividades;

  • mais agilidade na resposta ao cliente;

  • realização de entregas de produtos ou serviços antes do prazo;

  • melhor planejamento de atividades cotidianas;

  • melhores condições para obter dados dos clientes;

  • disposição de ferramentas para realizar a análise do mercado, concorrentes e fornecedores;

  • melhoria na gestão de pessoas;

Mais benefícios da tecnologia

  • monitorização do cliente, com acompanhamento de suas ações e reações quanto ao negócio e seu sentimento em relação à marca nas redes sociais;

  • viabilidade de expansão dos pontos de venda para o ambiente virtual;

  • segurança das informações graças à possibilidade de realizar back up de todos dados gerados e obtidos;

  • diminuição de custos que podem ser sentidos em todos os setores da organização;

  • sobrevivência dos negócios;

  • mobilidade, para acesso aos aplicativos e informações gerenciais a qualquer momento e em qualquer lugar, a partir de qualquer dispositivo móvel conectado à internet;

  • presença online para reforço da empresa, prospecção e fidelização de clientes e crescimento dos negócios;

  • exibição simplificada e intuitiva de dados gerenciais, a partir de dispositivos móveis;

  • mais eficiência e maior probabilidade de fazer mais com menos (escalabilidade);

  • análise gerencial embasa em acompanhamento de metas e indicadores de desempenho (KPIs);

  • tomada de decisão mais sólida com base em registros atualizados e confiáveis;

  • possibilidade de prever tendências e de se preparar para solucionar agilmente aos desafios do empreendimento;

  • melhoria nos resultados gerais, com maior qualidade e lucratividade.

Diante de uma lista extensa de pontos positivos, pode ter certeza que a probabilidade de seus superiores decidirem investir em tecnologia será bem alta. Portanto, colha o máximo de informações possível e mostre que você sabe do que está falando, passando firmeza e confiança naquilo que acredita ser melhor para a empresa.

Contar a novidade aos colaboradores e se preparar para encarar à reações negativas

Após conseguir o apoio da alta administração, a próxima etapa é convencer aqueles que fazem sua corporação ou setor seguir em frente: os colaboradores.

Apesar dos funcionários já estarem familiarizadas com as novas tecnologias para uso pessoal, alguns podem resistir às inovações tanto intimamente quanto de forma bastante “agressiva”. Esse tipo de hostilidade pode ser identificada em diversos tipos de reações negativas, como:

  • desmotivação;

  • baixa produtividade;

  • sabotagem, procrastinação (atrasos);

  • pouco comprometimento;

  • formação de grupos de resistência aos novos procedimentos.

Geralmente, essas atitudes são resultantes do receio da quebra de rotina, que por ser praticada todos os dias, os procedimentos nos quais os colaboradores estão familiarizados são executados de forma “automática”. E quando surge uma mudança repentina desse tipo, muitos podem não entender, de imediato, que ela pode contribuir com a melhoria das atividades exercidas.

Descobrir formas de evitar/remediar uma “revolta” interna após o anúncio das mudanças

O segredo para evitar que reações radicais surjam no meio corporativo é não impor mudanças imediatamente. O correto é fazer isso em doses homeopáticas, aos poucos, sempre perguntando aos colaboradores o que acham da ideia, pedindo sugestões para agilizar os processos. Confira abaixo mais alguns fatores que devem ser considerados:

  • explicar com clareza que as mudanças são essenciais para garantir que a empresa sobreviva à instabilidade econômica atual;

  • mostrar que a melhoria e/ou automatização de procedimentos poderá diminuir a sobrecarga de tarefas;

  • deixar que eles opinem abertamente;

  • convidá-los para participarem do planejamento.

Se isso for feito, a resistência da sua equipe poderá ser evitada e, ao mesmo tempo, você será visto com bons olhos por eles, diminuindo a ocorrência de comentários negativos sobre a sua gestão pelos corredores da empresa.

Criar uma estratégia para que a mudança ocorra gradativamente

Após cumprir os procedimentos citados acima será necessário definir os objetivos, portanto, deve-se selecionar equipes para encorajar e administrar o processo. Uma boa alternativa é formar times focados em: melhoria, integração e avaliação ou acompanhamento. Não se esqueça de nomear um responsável pela mudança a fim de supervisionar tudo o que for possível.

O líder, ou líderes, do departamento, precisam estimular a criatividade para que o processo seja dinâmico, condescendente e permita a cooperação de todos os envolvidos.

Você, como gerente de vendas e chefe do setor, deve delegar para o líder o que precisa ser feito para fazer a transição de processos. Para isso, é fundamental contar com o auxílio de ferramentas e dispositivos de comunicação para informar as etapas a serem seguidas, convocando reuniões periódicas com os integrantes. Dessa forma, todos no setor podem compreender o real objetivo da nova estratégia.

Acompanhar o Progresso

Por fim, será necessário acompanhar o progresso. Uma forma bastante eficiente de vencer a resistência da equipe por completo nesta etapa é definir programas para recompensar os profissionais que cumprirem os objetivos propostos.

Use da criatividade para criar prêmios ou vantagens com o intuito de fazê-los esquecer dos possíveis contratempos que podem surgir durante a mudança. Se tudo for feito com cuidado e comprometimento da sua parte, desde o início, pode ter certeza que essa transição correrá da melhor forma. O que, futuramente, será sentida na redução de custos e no aumento das vendas, graças aos inúmeros benefícios que a tecnologia pode proporcionar aos negócios.

E então, aprendeu como vencer a resistência da sua empresa a investir em tecnologia? Aproveite que você chegou até o final desta leitura e siga nossas redes sociais. Estamos no Facebook, Twitter, Instagram e Linkedin!